terça-feira, 21 de abril de 2015

Atualização

Pessoal,

quem aqui escreve é o Pedro, filho da Angela. Há mais de um ano que nada novo é postado aqui (o último post, com data de junho, foi escrito parte em janeiro, parte em março de 2014).

Resolvi falar agora, tanto tempo depois, porque vi no meu email um comentário da Cláudia (obrigado, pelo carinho, Cláudia!) querendo saber da minha mãe, já que há tempos que não damos notícia.

Peço desculpa para quem não soube, mas ela faleceu em novembro de 2014. Não avisei aqui porque como este blog foi criado para que ela escrevesse o que lhe viesse à cabeça e achava que só os amigos leriam, eu pensei que todos os leitores já tinham ficado sabendo o que aconteceu. De qualquer forma, fico feliz que seus depoimentos tenham alcançado inclusive pessoas que não a conheciam. Espero que, de alguma forma, essa história tenha feito diferença.

Para aqueles que também não sabem, escrevi um livro ano passado, de abril a outubro (pouco antes de ela falecer), contando a história de vida da minha mãe desde a infância. O foco é de 2005 até sua morte (o capítulo final foi escrito somente em janeiro, após seu falecimento), com objetivo de mostrar para pessoas doentes e amigos/familiares dessas pessoas que um diagnóstico de câncer não deve funcionar como uma sentença de morte. Muito pelo contrário, é possível viver uma vida excelente mesmo com essa infeliz doença nos acompanhando. Foi o caso de minha mãe, que na última década de vida viajou, profissionalizou sua clínica, iniciou uma nova carreira, dentre outras tantas coisas, sem jamais perder o riso, o bom humor, a alegria e a vontade de viver.

Espero, em breve, conseguir lançar esse livro. Postarei aqui novidades e, é claro, convidarei todo mundo para o evento de lançamento. Afinal, de alguma forma, todos fizeram parte dessa história, nem que fosse acompanhando e torcendo.

Muito obrigado pelo carinho que sempre tiveram com minha mãe.

Um beijo em todos.

Pedro Varella

6 comentários:

  1. Olá Pedro.

    Sou um desses leitores anônimos, que não a conheciam, e acabei chegando a este blog sem saber exatamente como, mas me interessei pelo que sua mãe postava, pois a minha faleceu alguns anos atrás dessa terrível doença, então de alguma forma, eu e sua mãe estávamos conectados pelo assunto.

    Admiriva sua energia e este espaço aqui criado e estava esperançoso de que ela estava vencendo a doença, mas recentemente achei que algo estava errado, pois nenhum outro post foi feito então comecei a pensar que ela havia partido sem um 'adeus'.

    Agradeço por vir aqui e dar notícias, ainda que tristes.
    Se puder, mantenha o blog, não o exclua, continue fazendo dele um lugar onde a energia de sua mãe ainda pode alcançar milhões de pessoas e de alguma forma, contribuir para uma palavra amiga de esperança.

    Lamento pela sua perda. Sei exatamente a dor que é sentida e o nós que ficamos para trás, possamos com nossas atitudes honrar a memória de nossos mães que despenderam parte de suas vidas a nos criar cidadãos do bem para este mundo.

    Abraço,
    C.

    ResponderExcluir
  2. Que o livro leve a linda história de vida da tia Angela a ainda mais gente que o blog! Você é só orgulho, Pedrinho! Beijos, Marianinha

    ResponderExcluir
  3. Angela foi um exemplo. E ter sua história por escrito é espalhar por aí, amor, superação e alegria. Parabéns por essa iniciativa, e claro, estarei lá para te prestigiar!

    ResponderExcluir
  4. Angela foi um exemplo. E ter sua história por escrito é espalhar por aí, amor, superação e alegria. Parabéns por essa iniciativa, e claro, estarei lá para te prestigiar!

    ResponderExcluir
  5. Tive o prazer de conhece-la e admiro a garra que tinha! Colhi sangue dela diversas vezes, porém sai da unidade e não a vi mais! Que todos da familia estejam em paz! Fiquei impactada com a notícia, sinceramente achei que ela superaria!

    ResponderExcluir